Psiquiatra Mário Negrão morre aos 74 anos

Mário Negrão foi um grande colaborador da Rádio CBN Curitiba desde o início da emissora, em 1995. Ele sempre era convidado para os debates aos sábados, por se destacar pelo conhecimento, experiência e bom astral. E assim tornou-se uma celebridade do rádio paranaense.

Com o tempo os demais veículos curitibanos também passaram a convidar Mário Negrão para outros programas, e ele até ganhou um espaço fixo semanal em uma grande emissora de TV.

Veja abaixo um dos vídeos que ele gravou em 2016 para o Youtube. Infelizmente a série não teve continuidade, ficando em poucos temas. Mário Negrão era carioca, formado em Psiquiatria e professor da UFPR, Universidade Federal do Paraná. Ele morreu no domingo, dia 14 de fevereiro de parada cardíaca aos 74 anos.

Estes foram os seus últimos comentários no Facebook:

“Por que o autoritarismo é tão atraente para tantas pessoas? No Brasil, já vimos a versão esquerda e agora estamos vendo a versão direita. Sempre tem alguém que acha que sabe mais do que os outros. Sempre tem alguém com o intuito de calar aqueles que não concordam O saldo triste é que cada um ferve na sua minoria particular..Caldo bom para os fanáticos, tão hábeis em transformar em torcida a vontade coletiva.”

“Tempos arrepiantes. Chegou o momento em que precisamos refletir sobre que tipo de país queremos. Por um lado existe um sistema de governo onde termos como lealdade, hierarquia e confiança absoluta no líder são os pilares, sendo permitido nesses casos o privilégio do executivo em ouvir o que o judiciário e o legislativo têm a dizer e o executivo fundamenta suas orientações decidindo o que ele acha melhor. O instrumento principal do executivo nesses casos é uma mera caneta, ou, nos piores casos, uma voz imbuída de autoridade pessoal e ás vezes até divina na sua imaginação. Por outro lado, há um outro sistema onde existe uma busca pelo equilíbrio, e não pela competição entre os três poderes sendo a voz do líder imbuída de um papel moderador que busca um consenso entre vozes dissidentes, buscando sempre um acordo, que nem sempre é a vontade absoluta dos mencionados três poderes, sendo substituída pela vontade democrática da parte de todos. O instrumento principal desse tipo de sistema é o respeito pelo país em que se vive. Em ambos os sistemas não podemos esquecer do papel do povo, que é obrigado a resignar-se ou regozijar-se com as decisões que vêm do alto. Seu instrumento principal é a opinião pública, expressa pelo voto, fortemente influenciado por índices de popularidade e o que diz a mídia social, ambos agasalhadas por vieses ideológicos, onde o consenso é notadamente difícil, por causa do domínio da competição entre as diversas opiniões em detrimento do diálogo. O primeiro sistema se torna útil entre militares em guerra, onde não há tempo para pensar direito como também em torno de situações políticas onde a meta do líder é a autoridade nua e crua. Espero que reflexões como essas possam nos nortear em opiniões com suas consequentes decisões eleitorais em escolhas que amam a capacidade de tornar pública de suas ideias através de um consenso melhor para todos.”

“Tempos Tristes. No mundo as ruas estão vazias, salvo por aqueles que ousam, ou precisam escolher entre a doença ou seus meios de subsistência. Onde estão as vozes que cantam, fofocam ou clamam por atenção a seus sonhos políticos assim como a vontade de ser rico ou bonito, agora soprados pelo vento como folhas secas por ruas quase desertas? Muitos dizem que, depois disso , o mundo nunca será o mesmo. Espero que sim, espero que seja melhor. No entanto, precisamos aprender que o tempo de amar a si mesmo e mais nada acabou. Temos que aprender a viver com o amor que nossa espécie merece e entender de vez que nossas vidas não são de graça, precisando de amor e sabedoria para florescer. A liberdade política e social da qual tantos reclamam é só um efeito da liberdade que cada um tem de escolher o que há de melhor em si e distribui-lo com toda generosidade, para que coisas assim nunca mais aconteçam. Paz, e fiquem em casa.”

Outra participação seguida de Mário Negrão era no programa “Cobras e Lagartos”, da TV UFPR, apresentado pelo jornalista Ney Hamilton. Durante vários anos Mário participou desta série.

Veja o último programa que foi ao ar em março de 2014. Também foi a última gravação do professor Belmiro Valverde, que morreu pouco tempo após esta gravação.

Ansiedade foi o tema deste vídeo.

Clique aqui para encontrar o canal de vídeos de Mário Negrão.

Comments

comments

Shares